07Abr, 2014

A lei de Parkinson, como gerenciar o tempo


É com base nesse pensamento que estrutura-se toda uma teoria, conhecida como Lei de Parkinson. Lei que foi publicada pela primeira vez em 1955 por Cyril Northcote Parkinson, na revista The Econimist, vindo depois a integrar o livro Parkinson’s Law: The Pursuit of Progress.
De acordo com Parkinson, a lei baseia-se em dois fatores: (1) “funcionários querem multiplicar subordinados, não rivais” e (2) “funcionários criam trabalho um para o outro”. Tendo em vista esses fatores, pode-se também constatar que dentro de uma organização, o total de empregos aumenta de 5% a 7% ao ano, totalmente “invariável à quantidade de trabalho (se houver) a ser feito”.
Podemos ver a Lei de Parkinson aplicada em muitas áreas do conhecimento humano, como por exemplo, em gestão de projetos, tarefas individuais com datas-limites, entre outros trabalhos que determinem prazos para seu término. Ambos os trabalhos raramente terminará antes do previsto, pois as pessoas tendem a expandi-los ao máximo, para terminá-los próximo a data de entrega.
Também possível vermos a lei em ação nas nossas atividades diárias. Não importa quantas coisas possuímos sobre nossa responsabilidade, iremos concluí-las em tempo maior que o necessário. Se nos vemos diante de uma tarefa que demoraria 30 minutos para ser concluída, mas possuímos para a mesma um prazo de 1 dia, provavelmente terminaremos em seu tempo limite. Isso nos coloca frente à frase, “se você quer que algo seja feito, dê para alguém ocupado”, essa citação nos leva a conclusão de que pessoas ocupadas são mais eficientes em gestão de tempo.
Cyril Parkinson cita:
“O homem mais ocupado é o que tem mais tempo livre”, chegando à conclusão de que as pessoas procuram trabalho para si mesmo, o que varia não é o tempo livre, mas sim, a eficácia com que executamos a função durante o tempo determinado. Quando temos pouco tempo para realizar uma atividade, temos tendência a ser mais eficaz, pratico e objetivo.
E como revertermos essa situação?
A forma mais fácil de garantir eficiência em todas as operações do seu dia é manter preenchido seu tempo de forma produtiva, organizando seus horários e colocando limites para cada tarefa a ser realizada.
Determinando tempo para cada tarefa, teremos uma noção aproximada de quanto tempo levaremos para realizá-las. Mas lembre-se: determine um tempo limite para conclusão sempre se baseando no tempo necessário mais uma pequena margem de erro.
Interessante também é notar que a Lei de Parkinson foi estendida para outros campos e áreas, virando de certa forma uma regra geral, como por exemplo, no armazenamento de arquivo “a quantidade de arquivos guardados se expande junto com o tamanho do armazenamento” ou até mesmo na relação de gastos e orçamentos “a despesa se expande junto com a quantidade de renda”
O que devemos ter claro em nossas mentes é: “Antes de fazer uma atividade, limite um tempo, e faça nesse tempo”. Claro que não será fácil no começo, ocorrerão erros que estenderá o tempo que foi alocado. Mas só o fato de criarmos regras para execução de nossas tarefas, resultará em maravilhas para o gerenciamento de nosso tempo.
Fonte: SPAGLIARI, Italo. A lei de Parkinson, como gerenciar o tempo. JusBrasil. Acesso em 07 de abril de 2014, 14h37. Dis´ponível em: http://italospagliari.jusbrasil.com.br/artigos/115106104/a-lei-de-parkinson-como-gerenciar-o-tempo?utm_campaign=newsletter&utm_medium=email&utm_source=newsletter

Fonte: http://italospagliari.jusbrasil.com.br/artigos/115106104/a-lei-de-parkinson-como-gerenciar-o-tempo 

Endereço

Avenida das Posses, 120
Bairro: Campos de Holambra
Paranapanema - São Paulo
aspipp@aspipp.com.br
FONE 14 | 3769.1788

Horário de Atendimento

Segunda a Sexta das:
07:30 – 12:00 / 13:30 as 17:00